Estudo aponta que cirurgia bariátrica contribui para a redução do risco cardiovascular em idosos

A cirurgia bariátrica é a modalidade de tratamento mais eficaz em termos de perda de peso sustentada em pacientes com obesidade. Diversos estudos clássicos, como o SOS, provaram que a cirurgia, quando bem indicada, pode levar à perda de peso sustentada e melhora do perfil cardiovascular.




O SOS é uma coorte baseada no banco de dados da Suécia. E não é infrequente vermos novos estudos com análises de longo prazo dessa coorte, demonstrando benefícios na população que foi submetida à cirurgia quando comparados aos controles, com obesidade, que nunca foram operados, inclusive com evidência de redução de mortalidade.


Já há um entendimento que a cirurgia bariátrica diminui a mortalidade, sobretudo considerando-se a redução de eventos cardiovasculares. Buscando esclarecer os benefícios cardiovasculares da cirurgia, a longo prazo, na população idosa, foi publicado no Journal of the American College of Cardiology (JACC) uma coorte baseada nessa população.


O estudo

A coorte incluiu 189.770 pacientes norte-americanos, pareados de acordo com idade (média de 63 +/- 10 anos), sexo (70% feminino), grau de obesidade (média de IMC: 44 +/- 7 kg/m²) e comorbidades. O seguimento médio foi de 4 anos. Para selecionar um perfil de pacientes mais idosos, o estudo utilizou o banco de dados do Medicare (EUA). Os procedimentos cirúrgicos foram realizados entre 2013 e 2019. Foram excluídos os participantes que tivessem mais que 75 anos, história prévia de insuficiência cardíaca ou menos de um ano de seguimento prévio no Medicare.


O desfecho primário analisado (mortalidade) foi favorável à cirurgia bariátrica, mostrando redução no risco (9,2 vs 14,7 por 1000 pessoas/ano), com um Hazard Ratio (HR) de 0,63 (0,6 – 0,66, IC 95%), um dado que chama a atenção. O grupo que realizou cirurgia bariátrica também teve menor incidência de insuficiência cardíaca (HR 0,46; 0,44-0,49, IC 95%), infarto agudo do miocárdio (0,63; 0,59 – 0,68; IC 95%) e acidente vascular cerebral (HR 0,71; 0,56-0,79; IC 95%). Como descrito no estudo, assumindo que houve uma associação causal entre o desfecho e a cirurgia, o NNT para prevenir uma morte foi de 64 e para prevenir um evento cardiovascular maior (morte, IAM ou AVC) foi 15!


Fonte: Portal PEBMED: https://pebmed.com.br/cirurgia-bariatrica-e-reducao-do-risco-cardiovascular-em-idosos

0 visualização0 comentário